• warning: include(../orelha/yp.php): failed to open stream: No such file or directory in /var/www/data/drupal-6-php7/includes/common.inc(1769) : eval()'d code on line 4.
  • warning: include(): Failed opening '../orelha/yp.php' for inclusion (include_path='.:/usr/share/php') in /var/www/data/drupal-6-php7/includes/common.inc(1769) : eval()'d code on line 4.

Manual introdutório sobre a construção de transmissores FM

Tags:

Aqui está um manual introdutório sobre construção de transmissores FM feito pelo pessoal da Free Radio Berkeley. Os projetos que ele abrange são bem caseiros e voltados à realidade estadunidense, mas não quer dizer que ele não seja útil. Baixe aqui.

Comments

RF não é brincadeira

Só queria registrar que o movimento de rádios livres é legítimo, pois visa à liberdade de expressão, o ataque ao monopólio inconstitucional estabelecido, à comercialização da vida. É forte pq não intenciona o lucro, o que afronta a própria lógica de funcionamento do sistema, de maneira autêntica, local e alternativa. Porém, não pode ser irresponsável... Se as transmissões causarem interferências (o motivo técnico para toda política repressiva), perdemos a guerra. Hj já é possível comprar transmissores homologados a preços acessíveis. Cada um fazer o seu e foda-se o resto é cavar a própria cova. Pra quem conhece, radiodifusão, transmissão terrestre é embaçado, harmônicos, espúrios, poluição... sejamos profissionais DA TÈCNICA! Então nossa palavra terá eco.

resposta ao comentario

ja penso diferente, acho q se o conhecimento for passado de forma em que as pessoas que o recebam possam entender oq estao fazendo....e com isso elas iriam colocar mais energia em estudar e fazer a coisa de tal forma que funcione tao bem qto os comercializados...e bem mais acessiveis do que eles.
Um bom exemplo dissos serio os softwares livres...tem tanta gente colocando energia nisso q tah saindo varias coisas fodas e de livre distribuicao...
nao acho q qualquer um vai sair pegando o bagulho pra fazer, ou melhor, sair soldando tudo sem ter nocao do q esta fazendo... ou a pessoa jah vai ter uma familiaridade com o assunto ou tera interesse em aprender e trabalhar em cima da coisa.
Não acredito q divulgar como montar um transmissor crie tantos problemas pro movimento...acho muito dificil que chegue ao ponto de existirem transmissores o suficiente numa cidade pra simplesmente impedir qualquer possibilidade de radio...se isso acontecer vai ser algo muito insano ;)...quem sabe ateh uma revolucao das ondas aereas hehehe brincadeira..

RF é embaçado!

Por favor, alguém com um conhecimento técnico poderia explicitar quais fatores devem ser levados em conta para transmissão rf? Quais equipo são imprescindíveis para verificar harmônicos e espúrios? Interferência é dano, crime. Rádio livre é liberdade de expressão, garantido desde 48, ratificado em 69 e "assegurado" em 88. Sw livre não causa dano (a não ser na lógica do conhecimento mercantil...). Não é o número de transmissores, mas a qualidade deles, que precisa ser verificada com aparelhos adequados que custam $. Ademais, o tempo gasto nesse aprendizado poderia ser investido em captação de recursos... Uma placa padrão é de fácil manutenção. Uma placa experimental só quem fez concerta... Não me oponho a que se estude, principalmente quem gosta da área, mas isso não significa tática pro movimento.

o que eu estou dizendo eh que

o que eu estou dizendo eh que essa informacao q esta sendo colocada a disposicao por ai..vai ser utilzada praticamente por pessoas que jah conhecem do assuntou ou por pessoas que estao afim de estudar e aprender...
primeiro pq as pecas nao sao tao faceis assim de achar e algumas sao bastantes caras para serem usadas sem saber..
As pessoas que estudam e que montam os transmissores tem uma preocupacao grande em nao causar interferencia em montar algo com qualidade
nao sei se devemos simplesmente nao nos preocupar em aprender mais sobre o assunto porque temos aonde comprar o transmissor...pra mim isso eh o mesmo q dizer:"pra q vc quer aprender como q um OS funciona e quebrar a cabeca com o kernel do linux...vc jah tem tantos OS por ai..eh soh comprar um"...
nao vai ser qualquer um que vai querer quebrar a cabeca pra entender linux...mas quem o fizer, vai tah estudando para aprimorar o bagulho e fortalecer o movimento..
pra mim eh bastante semelhante..vc pode comprar um windows e ter o seu comp funcionando..vc pode conseguir um linux com um amigo e tb ter o seu comp funcionando...ou vc pode estudar e criar a sua propria distribuicao ou ajudar a aprimorar uma q jah existe e sair distribuindo pra quem tem o interesse de usar...
vc pode comprar um transmissor e ter sua radio funcionando...vc pode conseguir um transmissor com um amigo e ter a sua radio funcionando...ou vc pode simplesmente aprender sobre transmissores montar um projeto, ou melhor um jah existente e passar pra quem precisa..
acho q inclui como parte do movimento ter conhecimento na fabricacao de transmissores...
compreendo a preocupacao com a questao da interferencia, mas como jah disse antes isso faz parte do aprendizado...vc aprende a montar e vc aprende a ter cuidado para nao criar algo q vai sair interferindo nas outras transmissoes...

O elo mais fraco...

E o que estou dizendo é: com essa política de faça vc mesmo seu transmissor, alimentamos o argumento pró repressão, calcado na técnica com fins claramente políticos. Não é inteligente divulgar que estamos fazendo transmissores. Acho inteligente dizer que só usamos os homologados pela Anatel. E, por favor, atente ao fato de que não dá pra comparar OS com RF. Pergunte a qqer técnico. Bug não é dano, é desenvolvimento futuro... Interferência é crime... Inteligência é fundamental...

Sobre a interferência e a homologação

Olá, tudo bem?

É muito interessante trocarmos idéias a respeito do uso de transmissores caseiros ou homologados, tema que toca em importantes questões como o acesso à informação, interferência no espectro e até na profissionalização do movimento.

Acredito que as rádio livres se baseiam no pressuposto que a regulação é desnecessária e portanto preocupar-se com certificação técnica e homologação de equipamento são barreiras para a democratizar o meio de transmissão. Note que não estou falando de rádios comunitárias.

Além disso, transmissores homologados custam bem mais caro, tanto pela ótima qualidade e acabamento aliados a uma fabricação em baixa escala quanto pelo simples fato de estarem homologados.

A manutenção de qualquer transmissor é complicada não pela questão técnica e sim porque a maioria dos projetos - profissionais ou amadores - não são de domínio público.

Quando quebra uma televisão, de qualquer marca, é só mandar pra oficina do bairro que o pessoal de lá sabe consertar. Técnicos de televisão tem um conhecimento genérico sobre receptores de TV e sobretudo possuem o esquema elétrico da maioria dos aparelhos. Lembre-se que o nível da tecnologia envolvida num transmissor de FM é quase o mesmo de um receiver de TV, de rádio ou de um vídeocassete.

Agora, quando quebrou um transmissor de FM, só quem o fez ou a respectiva indústria dará a manutenção correta, por simples monopólio - pois se eles liberam os esquemas todo mundo começa a construir seus próprios transmissores. A comparação de um sistema operacional com técnica de RF segue nesse sentido.

Por esses motivos creio que o atual sistema de homologação juntamente com monopólio tecnológico só tem a dificultar a proliferação de pequenas emissoras de rádio.

Sobre a interferência, qualquer transmissor possui harmônicos parasitários, principalmente os de muitos MW das grandes emissoras de rádio e televisão. Agora, acreditar que esse tipo de interferência possa causar danos fatais a algum outro sistema é subestimar a capacidade da engenharia em driblar o obstáculo do ruído.

Veja o caso da aviação. Já vi caras como o Chico Lobo dizerem que conversaram sobre a interferência com pessoal de aeroporto e estes explicaram que a aviação é uma atividade delicada demais e que por isso os sistemas de navegação e comunicação já são operados de forma a serem imunes a qualquer interferência, pois qualquer problema pode causar acidentes fatais. Para isso é utilizado vários canais simultâneos e outras paradas malucas. Fora que as faixas do espectro para radiodifusão (o dial) e para aviação são diferentes.

É muito comum ouvir alguém de rádio livre ou comunitária dizer que se transmissão FM derrubasse avião haveriam "bombas eletromagnéticas" sendo usadas por países beligerantes para acabar com a frota aérea de seus inimigos.

Por tudo isso, discordo quando você afirma que a política do faça-você-mesmo alimenta a repressão. Pelo contrário, a repressão é puramente política e não tem nada a ver com interferência, salvo quando ocorre o efeito "tubarão" - uma rádio invadindo a frequência de outra, o que não é uma interferência causada por má regulagem.

A repressão à rádios livres e comunitárias existe para manter a péssima distribuição de meios de comunicação existente. Por isso, dizer que interferência é crime é dar roupagem técnica à essa repressão.

É isso :)

--
rhatto at riseup.net
chave pública: id 0x6B566777 / keys.indymedia.org

show do rhatto

AMONIA21 POR UMA TRANSMISAÕ LIVRE----valeu rhatto sem mais palavras....

Tá melhorando...

Sim, é muito importante tratarmos da questão sócio-técnica das rádios livres. Concordo com a maioria dos argumentos, mas não me parece prudente a forma como vêm sendo tratadas as divulgações...

Pontualmente.

A questão do domínio público dos trasmissores é central. Nisso deve-se investir. Vamos falar mais sobre isso. A falácia sobre interferência em aviões também deve ser contraposta. Porém, a interferência existe e é bastante comum em rf, tanto em grandes potências como em más regulagens. Ter o domínio do
projeto não significa ter os instrumentos adequados para realizá-los.
Espero que além de idéias libertárias, vc tenha um wattimetro, um frequencimetro, um analisador de espectro, um gerador de áudio, um receptor padrão e uma carga não irradiante. Senão, é tiro no prório pé.

Responsa

Realmente ter esse conhecimento em mãos acarreta numa maior responsabilidade. Projetos de grande potência (10, 25W pra cima) precisam ser feitos com cuidado, porém transmissores pequenos (microradio) de 1W ou menos não precisam de todo esse suporte.

Quando à posse de equipamentos, sei que um bom osciloscópico mais um analisador de espectro, gerador de funções e todo o resto custam uma grana violenta. Mas existem locais, como escola técnicas públicas, que tem laboratórios com tudo isso e cujo acesso é irrestrito.

--
rhatto at riseup.net
chave pública: id 0x6B566777 / keys.indymedia.org

Transmissor de FM

Transmissor de FM