Textos e Análises

Análises ou sínteses.

(...)Radio Totopo y los procesos de organización comunitaria a los que contribuye la emisora, son el motivo que la autora escoge para hablarnos de la resistencia de los pobladores de Juchitán ante el embate de compañías productoras de energía eólica que bajo el amparo de autoridades locales, estatales y federales depredan uno de sus recursos naturales más preciados: el aire, lugar donde ‘habita’ el espacio radioeléctrico(...)

https://ia601900.us.archive.org/21/items/AireNoTeVendas/Aire%20no%20te%2...

Cartaz Portelinha

Sabemos que a mídia convencional e burguesa não atende e nem pretende atender os anseios da população em geral, em especial a classe trabalhadora. No entanto ela forja maneiras de fingir "dar voz" a todos, através da exposição e difusão da cultura, dita "popular".

Nossa intenção com o círculo é debater sobre a mídia e suas possibilidades, convidando a todas(os) os interessados(as) para conversar junto sobre nossas experiências no campo da comunicação e da cultura.

Desde o ano 2013, a União Europeia e os Estados Unidos estão negociando um possível Acordo de Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento (TTIP). Os defensores de um tal acordo insistem que seu objetivo é estimular o crescimento econômico de ambas as regiões e baixar os custos de produção para a indústria no Norte. “Mas o que me importam os gringos?”

Espectro Livre: o Direito do Povo à Comunicação

Thiago Novaes*

Resumo

O artigo trata da digitalização das comunicações no Brasil e das distintas concepções de democratização dos meios de comunicação que vigoram no país. Busca descrever um breve histórico de desenvolvimento do Sistema de TV Digital, preocupando-se com o atual debate sobre rádio digital, e apresenta uma inovadora forma de gestão do espectro radioelétrico: o espectro livre.

Palavras-chave: digitalização, democratização dos meios de comunicação, espectro livre.

Introdução: a Televisão Digital e Rádio Digital no Brasil

Em 26 de janeiro de 2007 a Polícia Federal apreendeu os equipamentos da
rádio Filha da Muda e, em seguida, um processo criminal foi aberto. A
defesa ficou por conta do advogado Ariel Foina, que foi provavelmente
o primeiro defensor de uma rádio livre a colocar-se o desafio de
traduzir para a estratégia jurídica a luta das rádios livres por autonomia na comunicação.

Foina elaborou um habeas corpus afirmando que a rádio Filha da Muda
não precisava de concessão para funcionar, pois não é uma rádio
"prestadora de serviço". Uma vez que as rádios livres não se separam

Rizoma

A idéia, ou o começo da ... é compartilhar traduções de textos e com laços/com eles criar, entre os espertos prosumidores dos espectros livres, uma dinâmica de tradução/transcriação e uso dos mesmos.

O trabalho concebido em utero estreito e a plenos pulmões é curto mas é de coração.

From heart to hertz !

ps_ Textos em anexo neste post

Agora foi a vez de em conjunto, todas organizações que fazem o jogo da democratização da mídia lançar uma Carta que vai no mesmo sentido do erro cometido com o Sistema Brasileiro de TV Digital, agora para o Sistema Brasileiro de Rádio Digital.

Esse fato explicita mais uma vez a completa falta de conhecimento dos padrões existentes para Rádio Digital por parte desses grupos, e a posição de subserviência dessas organizações com relação ao governo, que ao governo tudo pede e exige, e por si só, não nada fazem.

Como correu na lista de Radios Livres, deve ser escolhido um padrão que assegure a livre expressão da população através da apropriação direta do meio rádio, e isso o DRM pode proporcionar, mas nããããão, quer-se fazer um sistema nacional... porque nenhum sistema atende as necessidades do Brasil... ai ai ai

Segue a Carta...

*CARTA ABERTA SOBRE O RÁDIO DIGITAL*

No último dia 30 de março o Ministério das Comunicações publicou a Portaria

A pouco tempo atrás ocorreu o III Seminário de Legislação e Direito à Comunicação promovido pela Amarc (Associação Mundial de Rádios Comunitárias).

Uma reportagem sobre a discussão que ocorreu por lá sobre rádio digital pode ser lida em:

Digitalização pode ser ruim para pequenas emissoras

Esse texto, dentre outras coisas, descreve discussões que foram colocadas no evento: "Quais são os modelos de rádio digital em teste no Brasil? O que eles podem oferecer? Quais as vantagens e desvantagens de cada um deles? O que a sociedade deve exigir?"

De forma surpreendente, a discussão sobre o padrão de Rádio Digital Brasileiro, que foi propositalmente esquecida pela grande mídia (sempre enviesada no sentido de garantir benefícios próprios, apoiadores do HD Radio), esquentou muito nas últimas semanas, graças a ativistas pró DRM (Digital Radio Mondiale) que de forma relativamente isolada começaram um grande movimento para a escolha de um padrão decente para o rádio brasileiro.

A situação ganhou um carater de disputa direta quando o CEO da Ibiquity, Robert Struble, lançou uma "Carta aberta aos nossos amigos brasileiros", que foi respondida por Michel Penneroux, também do alto escalão do consórcio DRM, que por sua vez foi respondida por John Schneider, mais um do alto escalão da Ibiquity. A Thomson, empresa integrante do consórcio DRM também tomou partido nesses últimos dias.

Os textos da disputa podem ser lidos aqui:

http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2010/02/464394.shtml

Com o Rádio Digital, o já antigo uso (mais de 80 anos) da faixa de OC (Ondas Curtas) pode ganhar nova vida. Para os que ouvem Ondas Curtas, estamos acostumados aos efeitos do desvanecimento e dos constantes xiados que acontecem na recepção AM na faixa de Ondas Curtas. Ao mesmo tempo que estamos acostumados a ouvir rádios em linguas que jamais imaginamos em escutar, rádios do leste europeu, rádios em árabe, a Rádio Habana Cuba, Rádio Nacional da Amazônia, BBC World Service, Rádios daqui do lado em espanhol e assim por diante.

Ao mesmo tempo que propicia que transmissões sejam ouvidas em locais muitos distantes, o som que chega ao ouvido do ouvinte muitas vezes tem uma qualidade sofrível, e este fato levou hoje a faixa de Ondas Curtas quase ao esquecimento, com uma diminuição do número de rádios e ouvintes dessa fantástica banda de transmissão.

Syndicate content